Tecnologia para a terceira idade: os robôs cuidadores

Tecnologia para a terceira idade: os robôs cuidadores

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o mundo terá cerca de 2 bilhões de idosos em 2050. De olho nesse mercado, diversas empresas têm investido em tecnologia cujo principal objetivo é auxiliar o público da terceira idade a envelhecer com autonomia e qualidade de vida.

Nesse cenário, têm se destacado as primeiras experiências com robôs cuidadores. Embora a tecnologia ainda tenha suas limitações, como o alto custo de produção e a necessidade de aprimoramento em questões de segurança, os pesquisadores têm se mostrado otimistas sobre o desenvolvimento dos modelos.

Ainda que não possam substituir um cuidador profissional e, obviamente, a convivência com familiares e amigos, os robôs cuidadores podem se transformar em excelentes auxiliares na realização de tarefas do dia a dia do público da terceira idade, como a alimentação e a administração de medicamentos.

Robôs cuidadores: 5 tecnologias que podem aumentar a qualidade de vida dos idosos

1. Care-O-Bot

robô alemão é programado para levar comida, bebida e outros objetos para idosos, sempre mantendo uma distância respeitosa e informando o que pretende fazer por meio de gestos simples. A tecnologia permite ainda que ele dispute joguinhos e realize uma série de interações.

2. Tessa

Desenvolvido pela empresa holandesa Tinybots, o robô, que está em fase de testes, mas já tem uma lista de espera de mais de 200 compradores, tem como objetivo auxiliar o público da terceira idade e pessoas com deficiência cognitiva por meio de tecnologia de voz e estímulos musicais.

Tessa é capaz de realizar desde tarefas simples, como lembrar de compromissos e tocar músicas, até as mais complexas, como responder perguntas usando uma tecnologia que mescla reconhecimento de voz com bancos de palavras.

3. Dinsow

Já disponível no Japão, o Dinsow, que é fabricado pela TC Asia Robotics, pode ser instalado próximo à cama e outros locais onde o idoso passa bastante tempo. A tecnologia tem múltiplas funções: o robô pode, por exemplo, responder ligações de familiares e médicos, avisar sobre o horário da medicação e realizar rastreamentos periódicos do estado de saúde do usuário.

4. ElliQ

Com um tablet integrado, o robô é uma espécie de “amigo” do idoso. O ElliQ pode, por exemplo, checar a temperatura e, a partir dessa informação, sugerir atividades internas ou externas. A tecnologia, que ainda não está à venda, mas já tem lista de espera, também armazena as preferências do usuário para que elas sejam levadas em consideração nas próximas recomendações.

5. Robear

Ainda em fase de testes, o robô japonês tem realizado com sucesso tarefas de cuidados com usuários da terceira idade. Projetada especialmente para atender esse público, a tecnologia conta com sensores emborrachados, para evitar ferimentos ou acidentes.

Embora ainda esteja em estágios iniciais, o uso de robôs cuidadores pode representar um passo importante na busca por um envelhecimento saudável e com mais qualidade de vida.

Você já tinha ouvido falar sobre esse tipo de tecnologia? Gostaria de ter um robô cuidador em casa para auxiliá-lo em suas tarefas?