Janeiro Branco, qualidade de vida e saúde

Janeiro Branco, qualidade de vida e saúde

Mês de janeiro, início do ano, pensamentos positivos, sensações boas, projetos de mudanças, novo estilo de vida, enfim momento para recomeçar um novo ciclo, por vezes, melancólico pelas reflexões feitas em relação ao passado, mas com expectativas otimistas para o presente novo que se inicia. Papel em branco à mão e aproveitar a oportunidade para registrar desejos, sonhos, metas, cuidados, etc.
PUBLICIDADE

Foi neste contexto que no ano de 2014, na cidade de Uberlândia (MG), que alguns profissionais, perceberam o ensejo para iluminar uma temática ainda impregnada por tabus e promover campanhas e palestras. Atualmente a campanha acontece em vários estados e cidades do país, a exemplo de Campinas (SP) que no ano de 2016 foi promulgada uma Lei municipal estabelecendo ações educativas e preventivas voltadas a estas questões.

JANEIRO BRANCO – Mês oportuno para projetar no papel em branco as esperanças e planos, portanto, uma maneira para cuidar de si, especificamente, da Saúde Mental, sem preconceitos, discriminação e receios. Não há porque, nos dias atuais, associar os cuidados com a saúde do EU Psicológico (Mental e Emocional) à pessoa que está “louca”. Afinal, se fosse assim somente os “loucos” precisariam cuidar do EU Biológico, Social e Espiritual, ou seja, fazer atividade física e boa alimentação, ter boa convivência social e praticar uma religiosidade ou espiritualidade. Todos precisam, certamente.

Fonte: Folha da Região

As pessoas em boas condições de saúde física (EU Biológico), que fazem boa alimentação, atividade física e não estão sob tratamento medicamentoso podem, por outro lado, estar com o EU Psicológico completamente desequilibrado e sofrendo emocionalmente (ansiedade, fobia, luto, medo, depressão, pânico, tristeza, angústia, vazio, agressividade, etc), a ponto de adoecer fisicamente.

Com estas reflexões convido todas as pessoas para saberem mais sobre Saúde Mental associada a um estado de equilíbrio que favorece o bem-estar e o prazer pela vida. Uma boa maneira, para conhecer e conscientizar, está na leitura sobre as publicações acerca da temática e das campanhas, outras que de fato promovem mudanças, seria conhecer o trabalho do psicólogo ou psicanalista, ou seja, vivenciando uma psicoterapia. Afinal os “normais” também almejam Saúde e Qualidade de Vida.