Finanças: especialista do Senac dá dicas para uma velhice tranquila

Finanças: especialista do Senac dá dicas para uma velhice tranquila

A expectativa de vida do brasileiro aumentou para 75,8 anos, segundo dados do IBGE, que também apontam que há 26 milhões de idosos no país. Isso representa mais de 10% da população e projeções da Organização das Nações Unidas (ONU) indicam que o Brasil está entre os países que deverão envelhecer mais rapidamente até 2050.

E mesmo diante desse cenário, planejar uma velhice tranquila ainda não é uma prática comum entre os brasileiros.

“Além disso, estamos prestes a viver uma reforma da Previdência que pode mudar muito o futuro financeiro das pessoas e planejar para chegar à terceira idade com paz e segurança é muito importante”, afirma a coordenadora dos cursos de Gestão do Senac Saúde, Lívia Paim, que dá dicas essenciais para quem quer envelhecer com tranquilidade.

Confira:

– Controle seus gastos e rendimentos: um dos fatores mais comuns para o endividamento é a falta de controle sobre as próprias finanças. Anote, faça planilhas.

– Poupe agora: para chegar tranquilo na velhice a dica é poupar na juventude. Quanto mais patrimônio garantir, maior a chance de uma terceira idade confortável.

– Com a aposentadoria aparecem também as oportunidades de empréstimos e as taxas de juros são as mais baratas do país e para muitos é o caminho para pagar dívidas mais caras que possuem as taxas de juros maiores, adquirir bens e investir na qualidade de vida. Mesmo assim se trata de um empréstimo e é necessário planejar antes contratar e estar atento às cláusulas do contrato.

– Faça uma previdência privada: tanto para quem está começando sua carreira profissional quanto quem está se organizando para se aposentar é interessante conhecer outros planos de previdência, que são investimentos de longo prazo e com resgates flexíveis, sendo periódicos ou total, conforme interesse do investidor. E para quem pensa que é necessário um capital inicial alto para dar início a um plano de previdência privada está enganado, pois existem investimentos acessíveis que cabem no orçamento mensal.

Fonte: Agora no RS