Discussão sobre finanças e planejamento para mães enche auditório da OABPrev

Discussão sobre finanças e planejamento para mães enche auditório da OABPrev

Foi bastante prestigiado o evento “Mães que Planejam” realizado ontem (15) à noite, na sede da OABPrev GO/TO. Muitas associadas, familiares, advogadas e até mesmo homens estiveram presentes para assistir ao talkshow com especialistas sobre finanças, previdência e saúde, que falaram sobre a importância de a sociedade brasileira – hoje mais que nunca, diante da Reforma da Previdência – adquirir a cultura de se planejar, e ensinar os filhos a fazer o mesmo, para desfrutar de conforto financeiro e qualidade de vida no período em que não mais estiverem no mercado de trabalho.


Durante todo o evento houve degustação de aperitivos fit, exposição de maquiagens e objetos para ornamentos de mesas postas, além de sorteios de vários brindes.


A primeira apresentação ficou a cargo da advogada previdenciarista Kátia Gomes, que discursou sobre o tema “Planejando a Aposentadoria Diante da Reforma Previdenciária”. Em breves palavras, ela fez um comparativo, explicando de forma didática como e porque surgiu a previdência social no Brasil, como funciona o sistema previdenciário hoje e como ficará, caso a PEC 06/2019 seja aprovada.


Na sequência, com o tema “Saiba como Fazer de Seu Filho um Milionário aos 55 Anos”, a presidente da OABPrev, Keila Cristina, falou sobre a OABPrev, explicando seus diferenciais em relação, por exemplo, a outras aplicações, como a Poupança, ocasião em que, apresentando números e comparativos, demonstrou a rentabilidade da entidade. Keila apresentou uma planilha da entidade para mostrar que, com uma aplicação mensal de 50 reais a partir do nascimento do filho, os pais poderão propiciar-lhe, aos 55 anos, um acumulado superior a R$ 1 milhão. “A tranquilidade financeira de nossos filhos também é nossa, daí porque pensar em uma previdência complementar não apenas para nós, mas também para eles, significa, sim, conforto para nós, pais, no futuro”, ponderou, sem deixar de chamar a atenção para a importância de não negligenciar a educação financeira dos filhos, auxiliando-os a compreender a importância de planejar sua vida financeira ao longo da vida.


Consultora financeira e fundadora do site Papo de Valor, Vívian Rodrigues falou sobre “Educação financeira para o futuro”. Relatando um pouco de suas experiências pessoais e também enquanto consultora, esclareceu que é, de fato, difícil colocar em prática o hábito de poupar, sobretudo em uma sociedade que incentiva demasiadamente o consumo, mas que essa prática precisa ser adotada o quanto antes. “As pessoas querem tudo hoje. Imediatamente. Muitos chegam a pensar: ‘para quê me preparar para a velhice se nem sei se chegarei até lá?’. Mas o fato é que a maioria chega, sim, até lá, e o que temos presenciado hoje é um grande número de idosos que vivem ou da caridade de terceiros, ou da ajuda dos filhos, da previdência social ou, sim, em absoluta miséria, porque não se planejaram para o futuro”.


Para Vívian, as pessoas não precisam abandonar sonhos e projetos para poupar. Basta, segundo ela, colocar tudo no papel e definir prioridades e o quanto será investido em cada prioridade. “A partir daí, seguir o plano é uma questão de disciplina. É entender que parte do dinheiro do mês vai para a previdência porque eu quero ter uma velhice confortável, parte vai para uma aplicação porque eu quero viajar no final do ano, por exemplo, parte vai para os gastos fixos. E tentar não sair desse esquema. É difícil no começo, mas possível e necessário”, pontuou.


Última a falar, a personal trainer Marília de Sá defendeu a adoção imediata, por todas as mulheres e mães, independentemente da idade, de um plano de atividades físicas. Ela explicou o quanto a prática de exercícios – especialmente musculação – auxilia na prevenção de doenças próprias da terceira idade, como osteoporose. “Hoje, a expectativa de vida é alta, no Brasil, então é fundamental pensarmos em adquirir hábitos saudáveis para chegarmos até lá com força muscular, com capacidade de nos movimentar com o mínimo de dificuldades possível, com equilíbrio e agilidade”, finalizou.