Coronavírus: renda vai diminuir? 7 dicas para enfrentar a crise

Coronavírus: renda vai diminuir? 7 dicas para enfrentar a crise

Os especialistas em economia declaram que o mundo demorará anos para se recuperar economicamente da crise recorrente da pandemia do novo coronavírus. O panorama econômico gerou reduções salariais em até 50% e, consequentemente, a diminuição da renda dentro de casa.

Mesmo diante de um cenário difícil e de crise, Reinaldo Domingos, PhD em educação financeira e apresentador do Canal Dinheiro à Vista, reforça que a grande estratégia é não entrar em pânico. “A primeira coisa é buscar forças e ter calma para olhar de forma inteligente as finanças nesse período.”

Para auxiliar as pessoas nesse momento, confira sete dicas de especialistas para ajustar as finanças, se profissionalizar e garantir uma renda extra.

1- Negocie suas dívidas

Reinaldo explica que muitas pessoas ao serem demitidas querem quitar suas dívidas com o fundo de garantia. No entanto, ele não recomenda, pois, ao usar esse dinheiro, você corre o risco de ficar sem receitas para cobrir gastos à frente. “Busque os credores e seja franco. Mostre que não quer se tornar inadimplente, mas que também não possui condições de pagamento e busque diminuir os juros e esticar os débitos.”

2- Analise e conheça a sua realidade financeira

É fundamental ter domínio de seus números nesse momento. Portanto, verifique quanto tem guardado e some com o que ganhará. Faça um levantamento de todos os gastos mensais, desde cafezinho até parcela da casa própria. “A partir daí, é preciso tomar a decisão de mudar o padrão de vida, por mais difícil que seja. O momento é de reestruturação, e não de manter a pose. Então, o primeiro passo para mudar sua realidade é aceitar que seu padrão de vida mudou, e não viver de aparências”, afirma o especialista.

3- Congele ferramentas de crédito 

Cartões de crédito, cheque especial, cartão de lojas e outras ferramentas de crédito fácil devem ser prioritariamente esquecidas durante esses momentos de crise. “Evite mesmo em caso de emergência, pois, caso não consiga pagar esses valores, os juros serão exorbitantes, criando um caminho de difícil volta”, orienta.

4- Faça uma faxina financeira 

Avalie o que realmente é prioridade para a sua vida e selecione quais gastos que não agregam. “Há as despesas que podem ser diminuídas ou, no mínimo, controladas. Alguns exemplos são os aplicativos de delivery, os planos de celular, o mercado, água e luz”, explica Yolanda Fordelone, economista do Guiabolso.

5- Evite ao máximo realizar novas compras parceladas

“Como não sabemos quando esta situação vai se resolver, e nem quais serão os impactos econômicos desta pandemia, é preciso ter atenção redobrada e evitar gastos desnecessários”, indica Victor Corazza Modena, professor de empreendedorismo e gestão financeira da IBE-FGV.

6- Aproveite cursos gratuitos para se profissionalizar 

Apostar em cursos para desenvolvimento pessoal, que em geral são aqueles que nos ajudam a adquirir novas competências ou técnicas, são uma outra oportunidade durante esse período. “Ainda mais agora em que várias faculdades e universidades estão oferecendo excelentes cursos on-line de forma gratuita. Procure os que fazem sentido para sua carreira e profissionalize-se”, recomenda o professor da IBE-FGV.

7- Pense em um plano B para conseguir uma renda extra

Segundo Yolanda, a tentativa de aumentar a renda pode ser uma forma eficiente de compensar gastos adicionais por ficar mais tempo em casa e também uma maneira de não usar a reserva de emergência.

“No caso dos empreendedores, eles podem avaliar a possibilidade de vender pela internet, caso ainda não tenha adotado esse tipo de ação ainda. Um outro caminho pode ser o de fazer promoções para não perder o estoque e até vender vouchers com desconto para usar no pós-quarentena”, recomenda.

Já para os demais trabalhadores, a dica é tentar vender objetos que não são usados, como roupas e móvies, em sites de compra e venda.

Fonte: Yahoo