Como aumentar a restituição do IR

Como aumentar a restituição do IR

Pode parecer que ainda está muito distante, afinal estamos em agosto e o período de entrega do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) ocorre entre março e abril, mas este já é um bom momento para quem quer começar o planejamento da declaração de 2020.

Contribuintes que pretendem aumentar o valor da restituição do IR do ano que vem têm algumas alternativas para fazê-lo, mas isso já deve começar a ocorrer desde já. Entre as opções viáveis estão investir em um plano de previdência privada ou mesmo destinar parte do imposto.

Para o mestre em contabilidade Vladimir Pereira Lemes, antes de mais nada o contribuinte deve verificar sua situação para decidir pelo modelo de declaração: simplificado ou completo – apenas esse último permite as deduções.

A pessoa deve avaliar os gastos com plano de saúde, com escola, número de dependentes e comparar com o que recebe no ano calendário. “Se constatar que a melhor opção é a completa, deve começar as fazer as contas para usar algumas benesses da lei que podem fazer com que reduza a tributação e consequentemente aumente a restituição”, disse.

Quem fizer um plano de previdência privada deve escolher a modalidade Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL), no limite de 12% do rendimento tributável. A diretora de Vida, Previdência e Investimentos da Porto Seguro, Fernanda Pasquarelli, ressalta que, além da opção pela dedução do IR, investir em previdência privada ajuda o contribuinte na hora de uma aposentadoria mais tranquila. Ela explica que o incentivo fiscal do PGBL é um adiamento do imposto, que será cobrado no resgate ou no pagamento do benefício lá na frente. “A dica é reinvestir o valor da dedução no próprio plano para aumentar a reserva futura. Outra sugestão é optar pelo regime regressivo de tributação e manter cada contribuição aplicada por mais de dez anos, porque nesse caso terá uma alíquota de 10% na hora de retirar o dinheiro”.

Outras opções

Segundo Lemes, o contribuinte que for casado também deve verificar a viabilidade de fazer a declaração de imposto de renda do casal separadamente para reduzir a alíquota aplicável. Entram ainda como possibilidade usar a dedutibilidade permitida para quem tem empregados domésticos registrados, levantar os recibos de gastos com educação, das despesas com planos de saúde, médicos, dentistas, entre outros serviços de saúde. “Este é o momento de se pensar se é viável contratar algum dos itens acima, de modo a ter a menor tributação”.

Destinação

O contribuinte também pode fazer a destinação de parte do dinheiro do imposto até o fim do ano. São até 6% para pessoas físicas que realizam a declaração no modo completo, e podem ser destinados para os fundos da criança e do adolescente e dos idosos. Se optar por fazer essa destinação no ano que vem, mais próximo do período de entrega da declaração, o limite fica restrito a 3% do valor devido.

A campanha Destinação Solidária realizada durante o período de entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2019 registrou alta, o que é uma boa notícia para as crianças e adolescentes da cidade. Dados da Receita Federal mostram um aumento de 23,4%, ao passar de R$ 582,5 mil em março do ano passado para R$ 719,2 mil em março deste ano.

Para o auditor fiscal da Receita de Rio Preto Mauro José da Silva, o resultado é positivo, mas poderia ser muito melhor, visto que o potencial da cidade é de R$ 16 milhões. “Se houver uma participação, uma colaboração da sociedade, de empresas, de contadores, o desempenho pode melhorar muito, com isso melhoramos a qualidade de vida das crianças e adolescentes da nossa cidade”.

O desempenho de Rio Preto ficou acima de cidades de porte similar como, por exemplo, Ribeirão Preto, que totalizou R$ 626 mil. São José dos Campos arrecadou R$ 594,4 mil, e Santos, R$ 327,2 mil.

O dinheiro da campanha pode beneficiar as 33 entidades cadastradas no Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Rio Preto. A partir da Lei 13.019, o repasse é feito através de chamamento público e seleção de projetos. Estão em execução parcerias firmadas com Apae, Casa da Criança, AMAI, Anjo da Guarda, Renascer e Lar de Fátima. “Nos projetos fixos em andamento com recursos do fundo atendemos aproximadamente 500 crianças e adolescentes com vulnerabilidades sociais”, afirmou Camila Pacifico Sparvoli, presidente do conselho.

Fonte: Diário da Região