Alimentação e inteligência emocional: como as refeições diárias podem impactar na qualidade de vida?

Alimentação e inteligência emocional: como as refeições diárias podem impactar na qualidade de vida?

A alimentação é vital e necessária ao nosso dia-a-dia. Já a emoção é tudo aquilo que sentimos em resposta ao que vivemos. Mas, por exemplo, você conhece alguém que come mais do que deveria por “descontar” os sentimentos no momento da refeição? Isso é sinal de que a inteligência emocional está diretamente ligada à alimentação, ou seja: elas caminham juntas e não é para o bom sentido.

De acordo com a ciência, há uma tríade que baseia todas as atitudes e sentimentos que formam a inteligência emocional na vida do ser humano: o psicológico, o social e o biológico. De acordo com Patrícia Torassi, nutricionista do Grupo Risotolândia – especializado em refeições coletivas – “as pessoas recebem um prazer momentâneo descontando suas emoções na comida. Isso é fornecido pela dopamina e pela serotonina”.

Para quem não sabe, esses dois neurotransmissores liberam a sensação de prazer quando, por exemplo, nos exercitamos, abraçamos alguém ou comemos algo que gostamos. Segundo a nutricionista, “a diferença é que quando comemos alimentos ricos em gordura, o pico de insulina depois da boa sensação vai ter consequências ruins, como o acúmulo de gordura, estresse com a rotina ou letargia após a ingestão. Isso, além de afetar as simples atividades do cotidiano, vai afetar a inteligência emocional.”

Ela ainda explica que isso acontece porque “depois da euforia com o alimento ingerido o organismo voltará à letargia, afetando a inteligência emocional e querendo o prazer novamente, afinal de contas a sensação mudou em poucos segundos. É assim que esse ciclo vicioso e nada saudável funciona”, comenta a nutricionista da empresa, com sede em Araucária (PR). E, para reverter esse quadro de dependência da “felicidade” nos alimentos, a nutricionista deixa a dica de que a alimentação precisa ser nutritiva. “No dia-a-dia temos que ingerir gorduras boas, carboidratos complexos, vitaminas D e B12 e ainda ter um sono de qualidade”.

Esses fatores vão prover uma vida mais saudável, principalmente porque a digestão desses alimentos é mais lenta e gradual, fornecendo assim energia ao cérebro por mais tempo. Pensando por outro lado também, com alimentação leve e o cérebro saudável, a rotina e o dia-a-dia por si só, acabam tornando-se prazerosos. “É esse conceito que trabalhamos nas empresas que atendemos com a Risotolândia Restaurantes Corporativos. Queremos que os colaboradores, por meio de uma alimentação saudável e balanceada, sintam-se mais felizes, mais engajados e, consequentemente, sejam mais produtivos em seu ambiente de trabalho”, finaliza a nutricionista.

Sobre a Risotolândia Restaurantes Corporativos
A marca desenvolve relacionamentos duradouros por meio da prestação de serviços de alimentação para contribuir ativamente à elevação dos níveis de motivação, produtividade e qualidade de vida das empresas parceiras. Para o atendimento nos restaurantes administrados, a empresa tem um time de nutricionistas que elabora o cardápio, sempre focado nas necessidades do cliente. A marca é responsável por fornecer e instalar todos os equipamentos necessários à montagem do restaurante, além de disponibilizar profissionais treinados para atendimento, cozinha, limpeza e manutenção.

Além disso, garante todas as melhorias programadas: a cada dois anos, por exemplo, o restaurante ou a cozinha ganham uma cara nova! No âmbito da saúde, oferece palestras com profissionais para a orientação nutricional dos funcionários, feita por meio do programa de saúde alimentar Viva Melhor. “A comida tem o poder de despertar bons sentimentos e isso contribui, inclusive, para a melhora nas relações de trabalho e resultados da empresa”, finaliza a nutricionista do Grupo.

Fonte: Parana SHOP