Você tem uma reserva de emergência para um momento de crise? Se você deixasse de receber, por quanto tempo suas finanças ainda ficariam no azul? Em meio as tantas crises, oscilações de cenários econômicos e instabilidade financeira, é loucura não ter um fundo de reserva para emergências. Afinal, o inesperado pode acontecer a qualquer momento.

O Brasil não é um país que, culturalmente, entende sobre educação financeira e tem o costume de poupar. É por conta disso que, menos da metade da população saberia lidar com tempos de crise.

Isso preocupa você?

Se você quer ter mais tranquilidade e passar por esses momentos de crise, que tal começar a aprender agora sobre reserva de emergência e como fazer um fundo que consiga manter você por um tempo.
Siga a leitura e aprenda tudo!

 

Por que ter uma reserva de emergência?

Vamos imaginar que algo muito grave aconteceu na economia do país e que durante os próximos 6 meses, não caia nenhum real na sua conta.

O que acontecia com sua vida financeira?

A reserva de emergência é necessária, justamente, para esses cenários. Independente da sua classe social, da sua condição financeira ou do bom emprego que você tenha, se você não tem uma reserva para momentos de crise, você corre perigo e muito.

A maioria de nós, pela falta de entendimento de educação financeira, acaba deixando de lado isso e passando bastante aperto quando algo grave acontece.

Em 2017, uma pesquisa realizada pela Global Findex, mostrou que boa parte da população brasileira acaba precisando de empréstimos pessoais quando algo mais grave acontece.

Ter em mente que poupar é importante para momentos de crise é o primeiro passo para dar um futuro seguro a você e toda a sua família. Queremos que você drible uma situação ruim de forma mais consciente, e não faça novas dívidas nesse período.

Por conta disso, esse conteúdo é especial para você e vai dar dicas como criar um fundo de reserva eficiente.

Está pronto para começar a aprender?

Dicas imperdíveis para criar sua reserva de emergência

A partir de agora, você já tem em mente a importância de ter uma reserva de emergência, mas como começar a fazer o seu?

Separamos 6 dicas importantes para você.

Dica 1 – Estude suas receitas e suas contas

Faça um levantamento sobre suas contas mensais, quais são suas dívidas fixas e o que você não pode deixar de pagar.

O recomendando é que esse levantamento seja feito dos últimos 3 ou 4 meses, sempre lembrando que há meses que são atípicos, como início e final de ano.

Nesses meses, é comum que o gasto aumente com contas e presentes, então procure tirar a métrica de meses mais regulares.

Faça esse levantamento e coloque tudo em uma planilha, para que você tenha bem visível sobre suas contas.

Dica 2 – Liste quais são suas prioridades

Para ter um planejamento financeiro assertivo com uma reserva de emergência que deixe todos seguros, é importante que você junte todos os familiares para conscientização coletiva.

Veja com todos o que é essencial e o que pode ser diminuído, substituído ou mesmo cortado.

Cortar o que é supérfluo nem sempre é ruim. Com essa mudança de hábito é possível que você perceba que gasta muito mais do que, verdadeiramente, precisa.

Dica 3 – Reserve um valor fixo para guardar

Essa é uma das dicas mais importantes e ao mesmo tempo, mais difíceis de serem seguidas. Isso porque, é preciso retirar uma fatia para poupar e nem sempre isso é simples.

Contar com a ajuda de um orçamento familiar pode ser uma ótima saída, pois quando todos estão por dentro, todos acabam ajudando.

O recomendando é que seja poupado de 20 a 30% do valor líquido que sua família recebe, no entanto, se for possível poupar mais, faça isso.

Sempre aconselhamos que você tenha uma reserva de emergência que deixe a sua família bem por 6 meses. Caso consiga poupar mais, melhor ainda.

Dica 4 – Faça investimentos

Só poupança não garante segurança. Faça investimentos seguros e que rendam lucros, mesmo que você não esteja fazendo nada.

Ao pensar em uma reserva de emergência, opte por investimentos dos quais você possa retirar o dinheiro no momento em que precisar e com menos perda.
Avalie as melhores opções e diversifique a carteira.

Dica 5 – Atualize a família sobre os orçamentos

É muito importante que todos estejam por dentro das atualizações mensais, entendendo como andam as contas, como é possível melhorar e o que está saindo fora do orçamento.

Você vai perceber que quanto todos estão interessados e participando das atividades, fica muito mais fácil compreender e ajudar a aumentar esse fundo de reserva.

Caso você perceba que algo não está saindo conforme o planejado, informe e peça para que lhe ajudem a melhorar.

Dica 6 – Educação financeira desde cedo

Tenha o hábito de ensinar seus filhos, desde muito cedo sobre o valor do dinheiro. Isso é bastante importante para que ao longo do crescimento, eles sejam seus aliados.

A mesada pode ser uma ótima saída para ensinar a ter controle, a gastar menos do que se ganha e a administrar melhor as finanças.

O que achou dessas dicas? Elas funcionam na sua família?

Chegou a hora de colocar em prática!
Siga lendo nossos conteúdos e tendo mais informações financeiras.

Até breve!

Fonte: Seu Crédito Digital