OABPrev GO/TO | Vai viajar ou mora no litoral? Entenda a importância da vacina contra a febre amarela
1868
post-template-default,single,single-post,postid-1868,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-10.1.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Vai viajar ou mora no litoral? Entenda a importância da vacina contra a febre amarela

Vai viajar ou mora no litoral? Entenda a importância da vacina contra a febre amarela

Para uma viagem tranquila, sabe-se que existem muitos cuidados a serem tomados. Checar o cartão de vacina tornou-se um novo hábito entre os brasileiros. A febre amarela tem modificado a rotina de quem pretende aproveitar as férias nas regiões litorâneas.

No Brasil, alguns registros significativos da doença em áreas de matas e rios das regiões Norte, Centro-Oeste, Nordeste e Sudeste tornaram pontos de alerta para viajantes. O Ministério da Saúde pondera que, para quem pretende viajar para alguma dessas áreas, é imprescindível que se aplique a vacina contra a febre amarela dez dias antes, se nunca tomou a vacina.

Saiba o que é a febre amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa causada por vírus e transmitida por vetores – mosquitos. No meio silvestre, os mosquitos denominados Haemagogus e Sabethes se proliferam em regiões de mata e à beira dos rios. Já no meio urbano, o Aedes Aegypti, o mesmo da dengue, se prolifera em qualquer recipiente com água limpa, desde um potinho esquecido à caixa-d’água destampada.

Sintomas

A febre amarela, após sua instalação, pode causar calafrios, febre alta, cansaço, dor de cabeça e muscular, vômito por três dias, insuficiências hepática e renal e icterícia (pele e olhos amarelados). As incidências mais graves são as manifestações hemorrágicas. O infectado se torna fonte desse transmissor, mas isso não significa que ele possa infectar outra pessoa. Bem como outros vertebrados, como os macacos, não podem transmitir a doença a seres humanos. No caso da ocorrência em macacos, é importante lembrar que a manifestação da febre amarela silvestre não possui forma aparente. Todo cuidado é pouco!

Como se proteger?

A vacinação é o único modo de se prevenir contra a febre amarela. A vacina é gratuita e pode ser encontrada em postos de saúde em qualquer época do ano. É necessário que ela seja aplicada antes da viagem, caso se desloque para áreas de risco de transmissão, e é válida por até dez anos.

Todos devem tomar a vacina?

A vacina é contraindicada para gestantes, crianças de até 6 meses, pessoas com a saúde debilitada e, em alguns casos, idosos com mais de 60 anos. No caso de idosos, existem precauções específicas para isso. É essencial considerar o risco de contrair a doença e a imunização, por se tratar de que, em alguns casos, há a existência de imunidade baixa. Na dúvida, recomenda-se procurar o médico antes de se vacinar.

Como evitar o mosquito transmissor da febre amarela

É de extrema importância que se controle o ambiente em que se vive, no caso do meio urbano. E isso pode ser muito simples: basta que se previna a proliferação do mosquito transmissor. As medidas de proteção devem partir da sua casa! As regras para não deixar água limpa parada permanecem e os cuidados pessoais, como usar repelentes, mosquiteiros e roupas compridas, além da vacinação, devem ser rigorosamente levados a sério – tanto para os viajantes, quanto para os moradores de áreas de risco.

Você se lembra da orientação para quem se infectou pela dengue?

Então, a recomendação continua valendo: Evitar medicamentos à base de salicilatos.

Não existe tratamento para febre amarela, somente o médico poderá diagnosticar e cuidar corretamente da doença.

Com informações do Ministério da Saúde.

Quer ver outros conteúdos como este? Acesse o portal de educação financeira e previdenciária da OABPrev GO/TO, o Futuro em Dia!