Os segredos da longevidade e do bem-estar na 3ª idade

Os segredos da longevidade e do bem-estar na 3ª idade

Em um país no qual os idosos devem representar 25,5% da população até 2060 – um salto de 16,3% em comparação ao cenário atual –, como proporcionar qualidade de vida e bem-estar a esse público? Como estar preparado? No dia do seu primeiro aniversário, o Solar Ana Nery – Hospedagem e Moradia Sênior promoveu um encontro entre imprensa e os médicos, o especialista em geriatria Cezar Tabach e a cardiologista Bárbara Swarowsky Tabach. Durante o bate-papo, os dois compartilharam suas experiências junto à instituição e ainda deram dicas de como tornar a vida ainda melhor nessa fase.

Entre elas, o médico destacou a necessidade de se apostar na hidratação. De acordo com ele, é extremamente importante que os idosos bebam muita água diariamente. Além de melhorar o funcionamento do organismo, evita problemas renais e a perda de memória, que se torna mais comum nessa idade. Junto a isso, manter a autoestima com a prática de exercícios físicos e cuidados com o corpo é fundamental. “Os familiares devem insistir para que eles pratiquem alguma atividade”, afirma Cezar.

A manutenção do vínculo social, com visitas frequentes a amigos e familiares, e a participação em grupos artísticos são outras práticas que podem trazer grandes benefícios para a vida na terceira idade. Os médicos, inclusive, recomendam que os idosos se relacionem com públicos de várias faixas etárias, o que pode auxiliar no desenvolvimento do raciocínio e até evitar a depressão.

Procurar se manter informado, mas não dedicar muito tempo à televisão, também pode proporcionar melhor qualidade de vida. “É preciso cuidar para a mente não atrofiar, como em qualquer idade”, afirma Cezar. Há outra medida importante e muito acessível, conforme Bárbara: “Respeitar os idosos é básico. Todos nós vamos envelhecer.”

No Dia Mundial do Idoso, também celebrado nessa terça-feira, 1°, a enfermeira Sabrina Ludwig, uma das gestoras do Solar Ana Nery, destacou a necessidade de promover discussões em torno do lado saudável de ser idoso. “As pessoas estão vivendo mais, mas nem todas estão preparadas para lidar com isso. Elas não estão se preparando, também, para envelhecer de forma saudável.” De acordo com ela, é essencial que cada um olhe para a nova fase não como um fim, mas como uma etapa na qual ainda há muita coisa para se fazer.

Fonte: GAZ