Novas regras: confira dicas de economista para não se dar mal com saque do FGTS

Novas regras: confira dicas de economista para não se dar mal com saque do FGTS

As novas regras do saque-aniversário do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) entraram em vigor nesta quarta-feira (1°). Mas como não se descontrolar financeiramente com a opção? O Jornal Midiamax conversou com a economista Andreia Saragoça, que deu dicas para que o trabalhador evite se dar mal com a oportunidade.

De acordo com Andreia, que é educadora, consultora e planejadora financeira pessoal, a o FGTS é uma reserva financeira que possibilita ao trabalhador, em caso de uma demissão sem justa causa, a garantia de algum dinheiro até a recolocação no mercado e por isso exige um cuidado na hora de optar pelo saque-aniversário.

“É muito importante pensarmos que se usarmos esse dinheiro hoje para consumir algo (compra de uma geladeira, fogão ou celular) não teremos essa reserva quando realmente precisarmos dela”, esclarece.

Ela ainda destaca que a liberação pode ser vista tanto de forma positiva como de forma negativa, já que os recursos extras em caso de um desligamento repentino pela empresa levam a maioria dos trabalhadores ao desequilíbrio nas finanças até a recolocação no mercado de trabalho.

“O trabalhador tem a oportunidade de realizar o saque de um recurso, que é seu, e investi-lo em um produto de investimento, que lhe proporcione um melhor retorno financeiro. Mas é importante ficar atento de que com a alteração da remuneração do Fundo, o trabalhador precisa fazer as contas antes de realizar o saque para fazer qualquer outro investimento”, disse a especialista.

Pensando dessa maneira, a orientação a especialista é que o trabalhador pense bem antes de optar pelo saque e que ele só seja realizado o saque nos seguintes casos:SAIBA MAIS

Para o pagamento integral de alguma dívida (ou para entrada em uma boa negociação).

“Caso o trabalhador esteja pagando muitos juros em alguma dívida, como com cartão de crédito ou cheque especial o saque de aniversário pode ser uma opção, mas é importante que de forma paralela ao pagamento dessa dívida, haja uma conscientização e mudanças de hábitos financeiros, para não se endividar novamente”, destacou Andreia.

Com a finalidade de reinvestir o dinheiro

“O investimento precisa ser em algo que renda mais que a remuneração do FGTS, que tem o acréscimo de 40% no saldo depositado, a título de multa. Por exemplo, investir no Tesouro Direto a longo prazo, atrelado a inflação, que é uma renda fixa, ou em fundos imobiliários que são uma renda variável”, explicou Andreia.

Outra dica da economista, é aproveitar o começo do ano para dedicar tempo ao cuidado das finanças. “Buscar informações sobre educação financeira, como gestão do dinheiro e investimentos, ler livros, ver vídeos de boa qualidade sobre o assunto, tudo isso pode ajudar o trabalhador na hora de fazer escolhas que dizem respeito às finanças. Trabalhamos muito para ganhar nosso dinheiro e precisamos dedicar um tempo para aprender a administrá-lo”, concluiu.

Vale destacar que o FGTS é um recurso gerido pela CEF (Caixa Econômica Federal) e que desde 2017 tem sido liberado o saque para o trabalhador por meio de Decreto Presidencial, com a finalidade de alimentar a economia através do consumo e atualmente tem o rendimento anual de 3%.

Fonte: Mídia Max