Medicina preventiva: brasileiros querem viver mais e melhor

Medicina preventiva: brasileiros querem viver mais e melhor

O velho ditado conta que “prevenir é o melhor remédio”. Tudo indica que, aos poucos, os brasileiros estão finalmente compreendendo o significado do antigo clichê. Prova disso são os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2018: a expectativa de vida por aqui chegou aos 76 anos. É a maior média da história. São 22 anos a mais do que em 1960, quando os brasileiros viviam, em média, 54 anos.

Não é por acaso. Nunca se falou tanto em qualidade de vida e, diariamente, surgem negócios focados em alimentação, bem-estar e atividade física. São aplicativos, programas de exercícios, empresas especializadas em nutrição e um grande número de profissionais atuando nas áreas de promoção da saúde.

Afinal, o que é saúde? Você sabia que existe um dia dedicado ao tema?

Criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1948, o Dia Mundial da Saúde é celebrado em 7 de abril. A organização também criou um conceito para o termo: “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. Isso mesmo: estar saudável não é só “não estar doente”. Saúde é sinônimo de bem-estar e autocuidado em todas as fases da vida.

De olho na conscientização dos brasileiros, operadoras de plano de saúde vêm mudando o foco dos serviços oferecidos, agregando programas preventivos ao portfólio de benefícios. Cintia Dilay, gerente do Centro de Qualidade de Vida (CQV) da Clinipam, conta que a empresa trabalha fortemente com prevenção desde 2002. “Criamos uma unidade especializada em Qualidade de Vida para oferecer um atendimento diferenciado aos portadores de doenças crônicas. De lá pra cá, percebemos que a faixa da população acima dos 60 anos está cada vez mais atenta à qualidade de vida”, destaca.

Aumento da expectativa de vida: novo olhar para a medicina preventiva

Expectativa de vida dos brasileiros é de 76 anos. População acima dos 60 anos tem buscado novas formas de cuidar da saúde para viver mais e melhor. — Foto: Divulgação
Expectativa de vida dos brasileiros é de 76 anos. População acima dos 60 anos tem buscado novas formas de cuidar da saúde para viver mais e melhor. — Foto: Divulgação

Expectativa de vida dos brasileiros é de 76 anos. População acima dos 60 anos tem buscado novas formas de cuidar da saúde para viver mais e melhor. — Foto: Divulgação

O Centro de Qualidade de Vida foi criado para atender a uma parcela específica da população. Cintia conta que, nos últimos anos, há outros movimentos importantes relacionados à longevidade, como a busca pelo viver bem. Alimentação equilibrada, atividades físicas regulares, terapias complementares e programas especializados em bem-estar ganharam mais espaço na vida dos brasileiros.

Por isso os serviços ofertados para os beneficiários da Clinipam são tão variados quanto as novas necessidades das pessoas. “Temos grupos informativos e terapêuticos como o SOS Balança (adulto) e o Mova-se (infantil), para quem quer perder peso; aulas de culinária saudável na Cozinha Experimental; atividades físicas na Escola da Coluna; além de grupos de apoio ao tabagismo, gestantes e portadores de diabetes melittus, entre outros”, destaca a gerente do CQV.

Saúde no trabalho

Um dos desafios da medicina preventiva é levar os conceitos de qualidade de vida para o ambiente de trabalho. Afinal, são ao menos oito horas diárias na cadeira do escritório ou em outras atividades laborais. Má postura, alimentação inadequada e estresse – para citar somente algumas – são queixas recorrentes dos trabalhadores, que diminuem a produtividade e podem levar ao desenvolvimento de doenças crônicas. Pensando nisso, o Centro de Qualidade de Vida criou programas específicos para empresas. Tudo começa na avaliação dos dados de segurança e saúde no trabalho (SST): “nem todas as corporações já têm estes dados. Como trata-se de uma questão de cultura organizacional, adaptamos nossas ações às necessidades do negócio. Trabalhamos na construção desta cultura, quando necessário, e executando ações de saúde dentro das empresas”, explica Cintia. Entre as ações estão as Semanas Internas de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat), blitz da saúde, palestras de mobilização e exames preventivos in company.

Centro de Qualidade de Vida desenvolve ações para promoção da saúde e qualidade de vida no ambiente de trabalho. Redução do absenteísmo e melhora da saúde em geral são os principais objetivos. — Foto: Divulgação
Centro de Qualidade de Vida desenvolve ações para promoção da saúde e qualidade de vida no ambiente de trabalho. Redução do absenteísmo e melhora da saúde em geral são os principais objetivos. — Foto: Divulgação

Centro de Qualidade de Vida desenvolve ações para promoção da saúde e qualidade de vida no ambiente de trabalho. Redução do absenteísmo e melhora da saúde em geral são os principais objetivos. — Foto: Divulgação

A flexibilidade no planejamento das ações é um dos diferenciais do trabalho do Centro de Qualidade de Vida. No Grupo Marista, por exemplo, a Clinipam foi além das ações de monitoramento e conscientização: montou um ambulatório de atenção primária à saúde dentro da empresa, com um médico de família que faz a gestão de toda a saúde dos colaboradores. “Isso é possível graças ao engajamento de vários departamentos internos, das lideranças aos gestores de RH”, conta Cintia. Ela acrescenta que esse é um modelo de assistência empresarial inovador e muito vantajoso. “Contribui para a redução dos índices de absenteísmo, de idas ao pronto-socorro, internações e desenvolvimento de doenças do trabalho. O médico do ambulatório cuida do paciente de forma global, conhece seu histórico e faz acompanhamento individual de longo prazo”.

NO CQV, a medicina preventiva conta com especialidades tradicionais de saúde, como cardiologia, enfermagem, psicologia, fisioterapia e nutrição. Os profissionais fazem consultas individuais e atendimentos em grupo – para os beneficiários, a integração e a socialização também são fonte de bem-estar, conclui Cintia Dilay: “o Centro de Qualidade de Vida existe para oferecer aos nossos beneficiários todos os meios para que possam viver mais e viver melhor”.

Fonte: G1